quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Chico Preto aponta deficiências na saúde e cobra soluções do governo do Amazonas


O deputado estadual Marco Antônio Chico Preto (PMN) afirmou na manhã da quinta-feira, 28, durante pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado (ALEAM), que o Governo do Amazonas perdeu o norte no gerenciamento da saúde pública e cobrou a adoção de medidas destinadas a combater o caos registrado nos hospitais, onde, todos os dias, milhares de pessoas sofrem para conseguir marcar uma consulta, exames e cirurgias.
Chico Preto lamentou, também, as declarações do governador José Melo, durante entrevista à rádio local, assegurando que a saúde pública no Amazonas vive um momento de excelência, graças aos elevados investimentos realizados no setor, tanto na capital quanto no interior.
“A qual Amazonas o governador José Melo estava se referindo. Ao Amazonas real, onde os cidadãos comuns sofrem todos os dias, ou ao Amazonas apresentado na propaganda oficial?”, questionou. “Será que ele desconhece o caos registrado no Hospital Adriano Jorge, no Pronto 28 de Agosto e na Fundação Cecon?”, completou, destacando que o serviço é precário e está longe do status de modelo de saúde pública.
Chico Preto pediu, ainda, para o governador José Melo aproveitar para passar nas portas dos hospitais de Manaus durante a madrugada, já que ele acorda cedo - segundo a propaganda divulgada no Facebook -, para constatar a situação da saúde pública  no Amazonas e o sofrimento da população que precisa de serviços médicos.
“A saúde pública no Amazonas está marcada por um processo criminoso de terceirização, que é um bom negócio para certos grupos, mas é péssimo para a população. O Governo do Amazonas gasta muito e faz pouco”, assegurou.
Segundo o parlamentar, os hospitais públicos de Manaus estão amontoados de pessoas desesperadas, esperando por simples exames pré-operatórios, marcados por um processo violento de terceirização de seus serviços.

Prefeitura vai premiar alunos vencedores de concurso sobre a dengue e o tabagismo

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), realiza nesta sexta-feira, 29, a cerimônia de premiação dos alunos vencedores do IV Concurso sobre Dengue e do V Concurso sobre Tabagismo. A cerimônia acontecerá no auditório da sede da Prefeitura de Manaus, avenida Brasil, 2971, bairro Compensa 1, às 9h.

Os dois concursos foram lançados no dia 30 de maio pela Gerência de Promoção à Saúde da Semsa, direcionados para alunos das escolas estaduais e municipais de Manaus, abordando os temas “Acenda a luz do seu coração e apague o cigarro da sua mão!” e “Dez Minutos contra a Dengue”. A partir do lançamento, cada escola promoveu discussão junto aos alunos sobre os temas e a importância do trabalho de combate ao tabagismo e à dengue.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão, explica que o concurso é realizado anualmente como parte das ações de promoção à saúde e prevenção às doenças. “O objetivo principal é buscar a redução da morbimortalidade (adoecimento e morte) por uso de cigarro e fortalecer o trabalho de controle e prevenção à dengue junto à comunidade, uma determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto”.

Premiação
O IV Concurso sobre Dengue contou com a participação de 298 escolas e o V Concurso sobre Tabagismo teve a participação de 371 escolas. Serão premiados os três primeiros colocados nas categorias Desenho e Slogan, em cada um dos concursos. Os vencedores receberão troféus, medalhas e brindes.

A banca avaliadora dos trabalhos contou com a participação de membros da Fundação de Medicina Tropical (FMT/AM), do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa), da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (Fcecon)  e da Liga Amazonense Contra o Câncer (LACC).

Reportagem: Eurivânia Galúcio

Polícia Militar apresenta produtividade do semestre de 2014 e Operação Ciranda‏

A Polícia Militar do Amazonas, recebe na manhã desta sexta-feira, a partir das 8 horas no Auditório do Corpo de Bombeiros, a imprensa local de todas as mídias para detalhar sobre a produtividade policial militar dos quatro grandes comandos da corporação no primeiro semestre 2014.
O relatório, estruturado nas iniciativas policiais durante os meses de janeiro a junho no Estado do Amazonas, apresenta dados relevantes e inéditos das operações realizadas pela Polícia Militar e dos principais eventos, inclusive a “Operação Ciranda 2014”, em Manacapuru, região metropolitana de Manaus, durante a realização do tradicional Festival de Cirandas, onde a Polícia Militar dá início neste final de semana, 29, 30 e 31 de agosto, com um efetivo de mais de mil policiais militares do Comando de Policiamento Metropolitano-(COM), Comando de Policiamento do Interior-(CPI), Comando de Policiamento Ambiental-(CPAmb) e Academia de Polícia Militar-(APM).
Estarão presentes na coletiva acompanhando o Comandante Geral da Polícia Militar do Amazonas, os atuais comandantes dos grandes comandos PMAM que deverão esclarecer e informar sobre os dados referenciais coletados no período da produtividade, os índices propostos atingidos ou não, as atividades policiais extraordinárias e outras iniciativas que possibilitaram a população da Capital e Cidades do Interior um dos períodos mais seguros em relação aos de anos anteriores.
Antes do início da publicação e debate sobre o Relatório, a Polícia Militar oferecerá aos presentes um café da manhã no Auditório do Corpo de Bombeiros.

Implurb responde a indicação de Joãozinho Miranda.


Em 05 de Agosto de 2014 o vereador Joãozinho Miranda (PTN) apresentou a indicação 0818/2014 à Prefeitura de Manaus sugerindo a regularização dos números de todos os lotes, e logradouros público (ruas, avenidas, travessas, campos, ladeiras, becos e vielas) do município de Manaus. Ontem (27) o Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano - IMPLURB por meio da diretoria de planejamento enviou resposta ao vereador, informando que este serviço está temporariamente suspenso, devido a suspensão de contrato da empresa responsável por este serviço, visto que a mesma não estava cumprindo com os serviços e prazos descritos.
Com base na resposta do órgão o vereador se comprometeu em continuar cobrando do poder público, pois para ele essa questão é de grande importância, e precisa ser resolvida da forma mais rápida possível, pois hoje, muitas pessoas enfrentam problemas e contratempos devido a falta de organização dos números e logradouros.

"Os números não estão na sequência correta, e ainda existem aqueles que são iguais na mesma rua, trazendo inúmeros contratempos. Por isso precisamos enumerar de forma sequencial e crescente, assim como é preciso padronizar placas com a denominação das ruas, avenidas, travessas, campos, beco e vielas juntamente com descrição do CEP" - justificou Joãozinho Miranda.

Diogo vê regra cumprida, mas Henrique fala em prejuízo e insônia


Henrique deixou os vestiários do Pacaembu procurando palavras para explicar seu sentimento pelo pênalti que perdeu na derrota do Palmeiras nesta quarta-feira, para o Atlético-MG. Apesar de Diogo analisar que o árbitro acertou ao anular a cobrança convertida por invasão na grande área, o centroavante se sente prejudicado até psicologicamente.

"Na segunda cobrança, algumas pessoas me falaram que também teve invasão. Pô, é complicado, né, cara? Pareceu culpa por ter dado o pênalti", falou Henrique, sobre o contestável lance no qual o árbitro gaúcho Jean Pierre Gonçalves Lima viu falta dentro da área após Mazinho passar por Jemerson.

"Os critérios têm que ser trabalhados de uma forma mais severa, que alguém possa chamar atenção ou fazer com que esse critério prevaleça em todas as cobranças. Em uma cobrança usar e, na outra, não usar é difícil. Contra o São Paulo, foi a mesma coisa. É complicado porque um usa e outro, não. Estraga todo um trabalho. Infelizmente, acontece isso em um lance que poderia nos dar tranquilidade", prosseguiu.

Já Diogo, um dos acusados de invadir a área, não contestou tanto a decisão de anular o pênalti convertido.

"O árbitro falou que invadi junto com o Pedro Botelho. Se eu fosse o árbitro, não voltaria. Mas está na regra e ele está ali para cumprir regra", analisou o atacante, bem mais tranquilo do que Henrique.

"É difícil. O sentimento que estou é muito triste, como cada palmeirense deve estar sentindo neste momento. É erguer a cabeça, ter tranquilidade e tentar dormir hoje, mas vai ser um pouco complicado. O sentimento que estou não desejo para ninguém. Mas são dificuldades que nos tornam mais vencedores e fortes", falou o centroavante, tentando se incentivar.

O camisa 19, ao menos, garante que ter que bater o pênalti de novo não o desestabilizou. "Em nenhuma das cobranças, pensei que o Victor não teria chance alguma porque já tinha se movido, era o que eu queria", comentou o jogador que, após ver o goleiro apontar o canto que ele acertou na primeira chance, mudou de lado e mandou para fora.

Newsletter

Mande Seu E-mail

Email : blogofuracao@gmail.com

Nossos Membros da equipe