sábado, 19 de abril de 2014

Com imbróglio da Lusa, Brasileiro pode ter só quatro paulistas pela quarta vez na história

Héverton foi o pivô do caso em que o clube foi acusado de escalação irregular do meia no Brasileiro
Com o imbróglio envolvendo a permanência da Portuguesa na primeira divisão, o Campeonato Brasileiro desse ano pode ter quatro equipes paulistas na primeira divisão, fato que aconteceu apenas quatro vezes na história da competição e representa só 9% de todos os Brasileiros, desde 1971.
Com o rebaixamento de Ponte Preta e, possivelmente, Portuguesa no ano passado, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo foram os únicos do estado que asseguraram presença na primeira divisão, o que não acontecia desde 2011. Naquele ano, o quarteto não teve a companhia dos pequenos e médios paulistas, já que Guarani e Grêmio Osasco (então, Grêmio Prudente) caíram na temporada anterior.
A história se repetiu em outras duas temporadas. Em 2008, com o Corinthians na Série B, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo estavam na elite. Um ano antes, novamente os quatro grandes paulistas não tiveram a companhia de outras equipes do estado.
Se quatro equipes foram o número mínimo que os paulistas colocaram na primeira divisão, em 1978, quando o inchado brasileiro contou com 74 equipes, 12 clubes de São Paulo estavam na elite: Corinthians, Santos, Ponte Preta, Guarani, Palmeiras, São Paulo, Botafogo-SP, América-SP, Comercial, Noroeste, Portuguesa, e XV de Novembro.
Caso a Portuguesa dispute a primeira divisão de 2014 após todo embaraço judicial, o Brasileiro contará com cinco equipes, o que, entre as 43 temporadas, aconteceu apenas no ano passado. O caso da equipe do Canindé ganhou um novo capítulo na sexta-feira, quando o time foi retirado de campo por uma liminar da Justiça após 16 minutos jogados.

Com aprovação em queda, Dilma pede que auxiliares divulguem 'marcas' sociais

Sucessão presidencial. Em reação à popularidade em baixa e seguindo orientação de Lula, presidente determina que ministros usem discursos para multiplicar difusão dos programas federais; campanha sobre o Mais Médicos vai ao ar na próxima semana

Com a popularidade em queda, o patrimônio de "gerente" corroído e sob ameaça de uma CPI da Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff determinou aos ministros que adotem a estratégia da multiplicação das marcas do governo. A ordem é para que todos os auxiliares, sempre que fizerem discursos públicos, citem programas sociais como Mais Médicos, Pronatec, Prouni, Brasil Sem Miséria e Minha Casa, Minha Vida.
O roteiro de reação deve ser seguido mesmo se o tema da cerimônia não estiver relacionado a esses assuntos e os ministros forem de outras áreas. Pressionada por eleitores que exigem mudanças, como revelou a última pesquisa Ibope divulgada anteontem, Dilma quer destacar que muitos dos programas mencionados hoje por seus adversários são conquistas da administração do PT e representam "só um começo".
Uma campanha publicitária sobre o Mais Médicos entrará no ar na próxima semana. Para rebater as críticas da oposição de que o governo Dilma investe no "trabalho escravo" de médicos cubanos, a propaganda na TV mostrará como o programa, com cerca de 14 mil novos profissionais, tem mudado a vida dos mais pobres, principalmente no interior. A meta é que, até a Copa do Mundo, o plano dê assistência a 49 milhões de pessoas.
"O principal cabo eleitoral do seu governo é você mesma", disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em conversa com Dilma, no início do mês. "Os ministros têm que divulgar as ações do governo, dar respostas mais rápidas e traduzir todos esses números para a vida real. Ninguém sabe o que é PIB. A pessoa quer saber o que pode comprar no supermercado, se a vida melhorou ou não."
Dilma começou a pôr em prática os conselhos de Lula, mas a pesquisa Ibope acendeu a luz amarela no Palácio do Planalto. Embora o senador Aécio Neves (PSDB) e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), pré-candidatos ao Planalto, não tenham capitalizado a insatisfação com o governo do PT, Dilma caiu em todos os cenários. A presidente ainda venceria no primeiro turno, se a eleição fosse hoje, mas a desaprovação a seu modo de governar subiu de 43%, em março, para 48% neste mês.
Reduto. Além disso, a pesquisa captou um desejo crescente de mudança. O índice de brasileiros que querem alterações profundas no governo chegou a 68% em abril, segundo o levantamento. O descontentamento com o governo Dilma aumentou muito entre os jovens e também entre tradicionais eleitores do PT, como beneficiários do Bolsa Família. A avaliação negativa da gestão, feita por pessoas que moram na periferia, subiu 11 pontos, passando de 27% no mês passado para 38% agora. São índices próximos ao que Dilma obteve no período posterior aos protestos de junho do ano passado.
O "inferno astral" do governo é atribuído, nos bastidores do PT, a turbulências na economia, com o aumento da inflação, e à "desconstrução" da imagem da Petrobrás, abalada por denúncias de corrupção e sob ameaça de uma CPI no Congresso.
"A oposição continua sendo hipócrita. Nem o mais ingênuo dos políticos vai acreditar que uma CPI transcorrerá de forma técnica e sem contaminação política, principalmente começando em abril ou maio, com prazo de 180 dias, para acabar no período eleitoral", afirmou ao Estado o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini.
No Planalto, Berzoini já começou a seguir a recomendação de Dilma para multiplicar as marcas do governo. "Essa é uma eleição para fazer um debate profundo do que foi o Brasil no passado e do que o Brasil é hoje em termos de desemprego, renda, salário mínimo, Minha Casa Minha Vida, Prouni e Bolsa Família", insistiu ele.
Para Eduardo Campos, a estratégia indica que o PT vai apostar no "terrorismo eleitoral", acusando a oposição de querer acabar com programas sociais. "Eles sabem que sabemos fazer. Não podemos ficar sem alternativas nesse debate do presente e do passado", argumentou o ex-governador, ao formalizar a ex-ministra Marina Silva como vice de sua chapa.
"O problema não é o Brasil; é o governo que está aí", afirmou Aécio no programa de TV do PSDB, exibido na quinta-feira. O tucano abriu ofensiva contra o PT ao dizer que o governo "não reconhece que a inflação está saindo do controle".
Economia. Além das previsões de menor crescimento feitas recentemente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e também pelo Banco Central, os juros básicos estão hoje em 11% ao ano, acima do patamar de quando Dilma assumiu o governo, e há risco de racionamento de energia.
A "agenda positiva" da presidente até a Copa, porém, prevê "vacinas" contra as más notícias da economia, com discursos sob medida para estancar a queda de sua popularidade entre eleitores de várias faixas de renda.
Na lista dos antídotos produzidos para a nova classe média constam a entrega de mais moradias do Minha Casa, Minha Vida e a ampliação da bolsa do Pronatec. Dados do Ministério da Educação indicam que 40% das matrículas do Pronatec são de jovens oriundos de famílias com renda mensal de até três salários mínimos.

Campeonato Amazonense de Jiu-Jítsu entra no segundo dia de disputas

27º Campeonato Amazonense de Jiu-Jítsu tem, neste sábado, 19, o seu segundo dia de disputas. O evento é promovido pela Federação de Jiu-Jítsu do Amazonas (Fjjam), com apoio da Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel).  A competição começou na sexta-feira, 18, e encerra-se na segunda-feira, 21.

Todos os confrontos ocorrem no Ginásio Ninimberg Guerra, no São Jorge, zona Oeste de Manaus. Na sexta-feira, 18, a disputa começou com os atletas iniciantes. Dentre os destaques, estavam os irmãos João Vitor Farias e Marcos Vinícius Farias. Defendendo a faixa amarela, peso Galo, os gêmeos provaram que são idênticos até no estilo de lutar. Tanto que fecharam a categoria e decidiram no par ou ímpar quem ficaria com o título. João saiu na frente e garantiu a medalha de ouro.
“Fiquei feliz de ir para a final com meu irmão, mas a decisão sempre é difícil”, comentou João, que ao lado de Marcos faz parte do projeto Construindo Campeões, que beneficia 80 jovens com aulas gratuitas de Jiu-Jítsu na Escola Estadual Carvalho Leal, localizada na Cachoeirinha, zona Sul.  O projeto é do mestre Francisco José Afonso.
Com os filhos na final do Estadual, a mãe Elisangela Farias não aguentou a emoção e começou a chorar antes mesmo de o juiz revelar o campeão. Segundo ela, o fato também foi vivenciado ano passado.
“É difícil ser mãe de dois lutadores. A preocupação dobra. Ainda mais quando eles dividem a categoria, nem torço. Em 2013, aconteceu a mesma coisa pelo Amazonense, só que o Marcos venceu. Agora eles estão empatados. Mas, sinceramente, não importa quem ganhou, estou orgulhosa de ambos”, comentou a mãe.

Quem também se deu bem logo no primeiro dia de disputas foi Bianca Pereira. A atleta da academia Elvys Damasceno derrotou Karen Cristina, da Omar Salum, por 8 a 2, em combate válido pela faixa amarela. Participando pela primeira vez do Estadual, a jovem de 12 anos correu para os braços da família para comemorar.

“Eu nunca tinha enfrentado a Karen e estava bem nervosa, mas coloquei em prática as lições do meu mestre, Rodrigo Medeiros, e entrei com a vantagem. Isso (vencer) foi mais legal que ganhar ovos de chocolate”, brincou Bianca.
Protagonizando um combate duro, a luta entre João Vitor Lopez e Bruno Santos chamou a atenção do público presente no ginásio. O confronto foi decidido por pontos e João se sobressaiu ao marcar 5 a 2 em cima do adversário, após administrar bem a guarda.
“Essa luta foi bem complicada, mas eu estava confiante no desempenho do João. Ele está treinando há dois meses para o Amazonense e estava preparado para as emboscadas do oponente. Mais uma vez ele provou sua força e conseguiu administrar muito bem a pressão e as passadas”, afirmou o mestre do atleta, Guilherme Neto, da equipe Orley Lobato.
Para o secretário da Semjel, Elvys Damaceno, o início do Amazonense não poderia ter sido melhor. “Nós ficamos surpresos com a participação do público e felizes de ver o Bergão lotado mesmo com o feriado. Passaram por aqui hoje (sexta-feira) aproximadamente duas mil pessoas e esse número deve aumentar nos próximos dias. Convido a população a vir prestigiar o show de lutas. Tenho certeza que todos vão gostar”, disse Damasceno.
Neste sábado, 19, será a vez dos faixas azul e roxa entrarem na disputa. Domingo, 20, serão os atletas de faixas marrom e preta. Nestes dois dias, a competição será de 10h às 18h.  Já na segunda-feira, as disputas serão na categoria Absoluto e serão de 10h ao meio-dia.

Foto: Antonio Lima/SEMJEL

Alunos da Semed participam de comemoração ao Dia Nacional do Livro Infantil


Alunos do projeto Teatro e Cidadania do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Graziela Ribeiro participaram de comemoração ao Dia Nacional do Livro Infantil, celebrado na sexta-feira, 18, em homenagem à data de nascimento do escritor Monteiro Lobato. O evento foi promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e realizado na escola da instituição, no Campos Elíseos, zona Centro-Oeste da cidade.

Para uma plateia de cerca de 50 alunos da escola do Sesc, o grupo teatral do Graziela Ribeiro encenou a peça ‘O Leão e a Libélula’, que conta a história da amizade inusitada entre os dois animais e ensina valores como: respeito, amor e preservação do meio ambiente. A encenação é uma adaptação ao livro ‘O Leão e a Libélula’, da escritora amazonense e jornalista Alessandra Karla Leite. Ela participou do evento e mostrou-se feliz por saber que sua obra tem levado crianças a terem contato com a literatura.

“Esse é meu primeiro livro e fico lisonjeada quando vejo crianças aprendendo valores com algo que escrevi. Monteiro Lobato foi o precursor da literatura infantil e ele tinha esse caráter pedagógico em suas obras. Eu acredito que de forma lúdica a criança desperta para o ensinamento e é isso que meu livro busca fazer”, explicou.

Segundo a professora Ana Luzia Sidou, que coordena o projeto Teatro e Cidadania, a ideia de trabalhar com peças teatrais surgiu, em 2012, para ajudar a desinibir as crianças do primeiro período. “Como as crianças chegam muito tímidas, encontramos essa alternativa para desinibi-las. Além disso, é também uma forma lúdica de inserir a literatura na vida dos alunos”, disse.

O estudante José Maria, de 5 anos, fez o papel do leão na peça e explicou o que aprendeu com história. “A libélula estava triste porque não tinha amigos, mas aí o leão ‘conheceu ela’ e eles ficaram melhores amigos.  Aprendi que é bom ter amigos e que não posso fazer mal para ninguém e nem para a natureza”, comentou.

Para prestar homenagem a Monteiro Lobato, cinco crianças dançaram, vestidas a caráter, a música da Emília, personagem do Sítio do Pica-pau Amarelo.

Prêmio

O projeto Teatro e Cidadania do CMEI Graziela Ribeiro está concorrendo ao Prêmio Construindo a Nação, do Serviço Social da Indústria (Sesi), concurso que premia ações sociais desenvolvidas nas escolas voltadas para o tema cidadania.

No próximo dia 30, será a final do concurso e a expectativa da diretora do CMEI, Raquel Thomé, é que o CMEI Graziela Ribeiro fique entre os primeiros colocados. “Participaram várias escolas públicas da Prefeitura de Manaus e do Governo do Estado. Já conseguimos chegar à final. Agora, porque não sonhar com a vitória”, comentou.

Thiago Botelho

Fotos: Cleomir Santos

Prefeito presta solidariedade às vítimas do acidente da procissão

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, se solidarizou com as vítimas e familiares do acidente envolvendo um caminhão de som e participantes de uma procissão, que deixou dois mortos e 16 feridos.  O acidente aconteceu na rua Francisco Orellana, Dom Pedro, zona Centro-Oeste, na tarde desta sexta-feira, 18. Várias secretarias da administração municipal estão trabalhando desde o momento da batida.

“É lamentável. Logo agora que a cidade se recuperava da tragédia ocorrida no dia 28 de março, mais uma fatalidade ocorre no trânsito de Manaus. Dessa vez não foi a pressa, pois o caminhão participava da procisão. É preciso verificar se havia manutenção e se estava em dia”, disse o prefeito.

Arthur está em São Paulo para a realização de exames médicos, mas, mesmo distante, agradeceu ao prefeito em exercício, vereador Sildomar Abtibol, que esteve no local do acidente representando a prefeitura.  O prefeito agradeceu, ainda, pelo rápido trabalho dos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semasdh), que também foram ao local para dar auxílio às famílias das vítimas.

“A prefeitura está presente no local, por meio do Manaustrans, Samu e Semasdh e iremos dar todo o apoio que as vítimas e os parentes necessitam nesse momento difícil. Manteremos assistentes sociais nos hospitais, até porque a presença deles é fundamental no elo entre parentes e unidade de saúde”, comentou.

Segundo testemunhas, o caminhão de som perdeu o freio em uma ladeira e atingiu as pessoas que participavam de uma procissão do Senhor Morto, da Paróquia da Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos. Mais de 2 mil pessoas acompanhavam o evento.

Newsletter

Mande Seu E-mail

Email : blogofuracao@gmail.com

Nossos Membros da equipe